História

História

     Hashomer Hatzair: quase um século de história. Uma história dinâmica, emocionante, algumas vezes trágica, mas sempre realizadora.

     A tnuá nasce em dois planos diferentes: primeiro um grupo de jovens judeus que se identificam com a proposta do movimento Scout e Wandervogel (Inglaterra e Alemanha, respectivamente) resolvem formar um grupo juvenil escáutico judaico-sionista, Hashomer. O nome tem significado especial para estes jovens, pois Hashomer era um grupo criado em eretz Israel para defesa judaica. Contemporaneamente, nasce o Tzerei Tzion (jovens de tzion), um grupo de intelectuais. A junção de ambos na Áustria finaliza a constituição do Hashomer Hatzair.

     Entre as grandes realizações iniciais da tnuá estão: a incorporação do socialismo para a plataforma ideológica em 1917, a primeira aliá em 1919 e a formação do primeiro Kibutz (Beit Alfa) em 1921. A partir de 1921, o movimento passa por uma forte expansão em eretz Israel e na diáspora, formando ainda na década de 20 sua representação política perante ao Yshuv e um movimento de união dos kibutzim: o kibutz artzi.

     Durante a segunda Guerra mundial, Hashomer participou ativamente em batalhas pelo exército britânico. Entretanto, o levante do Gueto de Varsóvia merece destaque especial. Liderado por Mordechai Anilewicz, boguer do Hashomer Hatzair, o gueto se rebelou contra a maquinária nazi, resistindo heroicamente por 28 dias e 28 noites, mantendo a honra do povo judeu. Durante a Guerra de Independência (1948), o movimento teve grande importância, pois além de contribuir no Palmach, o Kibutz do Negba (do Hashomer Hatzair) foi vital na resistência contra a frente egípcia, garantindo a sobrevivência do Estado de Israel.

     No Brasil, a tnuá sempre se mostrou altamente militante, tanto em questões de política interna, como em questões comunitárias e sionistas. Durante a ditadura militar, o Shomer sempre lutou pela redemocratização do país e atacou veementemente a ditadura. Alguns membros da tnua chegaram a ser presos em protestos.

     Atualmente, o Shomer continua sendo símbolo de vanguarda e idealismo no povo judeu, com uma estrutura de nível mundial e uma proposta de luta por um mundo mais justo e harmônico. Acreditamos na Paz entre judeus e palestinos em Israel, com dois Estados (um judeu e um árabe) existindo simultaneamente.

Por mais, pelo menos, 100 anos de historia: Chazak ve’ematz!

Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On Youtube